Fonoaudiologia e Esclerose Múltipla

Autoras: Flavianne Machado Alves e Patrícia Passos da Silva

A Fonoaudiologia é a ciência que estuda, previne e trata os distúrbios da comunicação humana. Compreende quatro áreas: motricidade orofacial, linguagem, voz e audição.

• A motricidade orofacial é composta por todos os movimentos que nos permitem falar, engolir, mastigar os alimentos e respirar;

• A linguagem oral acontece pela comunicação entre pelo menos duas pessoas, em que há a utilização da voz, da fala e da audição

• A voz corresponde ao som característico de cada pessoa

• E a audição é corresponde a recepção da informação.

Essas funções estão intimamente relacionadas com o Sistema Nervoso Central, que controla e coordena as estruturas responsáveis pelo desempenho das mesmas.

Assim, sendo a Esclerose Múltipla (EM), uma doença neurológica degenerativa, pode afetar diferentes áreas do Sistema Nervoso Central, podendo provocar alguns comprometimentos das funções ou estruturas relacionadas com a comunicação.

As principais alterações fonoaudiológicas encontradas nos portadores de EM são:

• Voz fraca;

• Cansaço ao falar;

• Fala lentificada;

• Engasgos freqüentes principalmente durante as refeições;

• Tonturas e alterações do equilíbrio;

O tratamento Fonoaudiológico é de grande importância para a melhoria da qualidade de vida do portador de EM e dos familiares, pois os distúrbios fonoaudiológicos podem levar o paciente a uma redução das atividades social e profisional.

Durante o tratamento, o paciente é avaliado através de técnicas específicas com o objetivo de identificar alterações da fala,dos movimentos dos lábios, língua e de toda a musculatura orofacial, audição e equilíbrio, voz, respiração, mastigação e deglutição.

Portanto, o tratamento fonoaudiológico oferece ao paciente novas técnicas e novas adaptações, de forma a preservar a comunicação, a alimentação e as demais funções relacionadas a Fonoaudiologia.

Publicado em 18 de junho de 2011